Pode ser muito necessário alterarmos aquilo que estamos dizendo para dar uma outra percepção aos pontos levantados.


O que é anacoluto?

O anacoluto, assim como faz a silepse e também a hipálage, é um modulador gramatical que enquadra-se entre as figuras de construção pois altera diretamente a sintaxe da oração, conferindo-lhe um novo significado ou aplicação.

Pode-se notar a ocorrência desta figura de linguagem quando um enunciado recebe uma interrupção em seu plano sintático, separando os componentes da frase a fim de trocar os períodos na oração, alterando completamente a ordem lógica. Esta separação geralmente está ligada a alguma pontuação específica no texto, como vírgula ou ponto e vírgula, gerando assim uma pausa sensível. A partir de seu uso, alguns termos se desprendem dos demais, ficando “para trás” na leitura.


Exemplos de anacoluto

A utilização desta mecânica textual está relacionada ao rebuscamento e à complexidade pretendida pelo autor, pois a disposição das ideias transmitidas fica, de certa forma, embaralhada, criando um efeito de sentido.

Exemplo 1

“Essas empregadas de hoje, não se pode confiar nelas.”
– Alcântara Machado

O trecho acima se vale de um anacoluto no primeiro período. O autor optou por deslocar gramaticalmente um elemento que em tese não se encaixaria ali do ponto de vista da sintaxe, fazendo com que a oração tenha outro efeito.

Exemplo 2

“Eu, não sei em que momento, me deixaram de fora do plano.”

Neste exemplo, mais aproximado da oralidade do que do texto, temos a interrupção total de uma ideia que se desenvolveria a partir de “eu”. O efeito dá a impressão de uma mudança de ideia abrupta ou até mesmo de um desvio no pensamento.

Exemplo 3

“O homem, chamar-lhe mito não passa de anacoluto.”
– Carlos Drummond de Andrade

É possível compreendermos sem grandes prejuízos aquilo que o autor escreveu. Entretanto, o deslocamento que ocorre em “o homem” faz com que, para a gramática, ele seja um termo não conectado aos outros, por conta da figura de linguagem empregada.

Exemplo 4

“As flores primaveris, você sempre acha bonito!”

A linha de raciocíonio que seria formada a partir dos termos destacados foi interrompida totalmente pela pontuação e pela inserção de um novo período gramatical. Desta forma, a compreensão daquilo que é dito é feita mais por relação contextual do que pela ordem das palavras.

Exemplo 5

“O relógio da parede eu estou acostumado com ele, mas você precisa mais de relógio do que eu”.
– Rubem Braga

O escritor se valeu de uma anacoluto para dar liberdade ao fluxo de consciência de seu narrador. Através desta técnica é possível que outras vozes sejam inseridas naquilo que está exposto.


Avaliação média: 4.8
Total de Votos: 5

Anacoluto