Procurar as semelhanças e as diferenças entre duas coisas pode ser extremamente útil ou apenas dispensável.


O que é comparação?

A comparação é uma das mais comuns figuras de palavras ou tropos utilizadas na língua portuguesa. Seu processo, diferentemente da metáfora, se vale de conectivos e conjunções que tornam clara a ligação entre aquilo que está sendo comparado. É o caso das expressões “como” ou “que nem”, por exemplo.

Esta figura de linguagem busca sempre aproximar duas ideias ou seres, seja para apontar aquilo que compartilham de semelhante ou aquilo que os distancia, tornando-os distintos.


Exemplos de comparação

Geralmente, o gesto de comparar aparece utilizado com um destes propósitos, mas também pode ser usado com o intuito de aumentar ou diminuir o valor de algo, embasando-se em outro objeto, que é tomado como molde ou ideal. As comparações podem servir também equalizar determinadas qualidades entre as pessoas ou ainda distinguir que dois utensílios cumprem o mesmo papel.

Exemplo 1

“Amou daquela vez como se fosse máquina.”
– Chico Buarque

O compositor compara, nesta frase, um gesto amoroso a um maquinário. Através do conectivo “como”, ele equipara a ação ao desempenho de um objeto industrial. A interpretação pode ser positiva ou negativa.

Exemplo 2

“Saiu daqui que nem um pé de vento.”

A expressão ressalta a agilidade com a qual alguém saiu de um local. A locução “que nem” geralmente aparece em um contexto mais informal ou até mesmo oral, a fim de realçar a proximidade proposta.

Exemplo 3

“Acho Maria mais bonita que Ana.”

Neste caso ocorre um procedimento comparativo um pouco distinto. Quem fala usa um dos polos, a beleza de Ana, para destacar que Maria apresenta mais qualidade neste sentido.

Exemplo 4

“Não é possível João ser menos esperto que Pedro.”

Aqui ocorre uma diferença crucial perante o exemplo anterior. Ao invés de utilizar uma das extremidades para que a outra seja evidenciada, nivela-se por baixo, colocando ambas em uma má condição, embora uma delas seja não seja tão ruim no aspecto em questão.

Exemplo 5

“Quero ficar no teu corpo feito tatuagem.”
– Elis Regina

A relação estabelecida nesta sentença é mais complexa que todas as outras. Além de uma conjunção atípica, “feito”, a conexão realizada diz respeito a um fator concreto, a tatuagem, e a vontade pessoal do enunciador, que pretende se realizar de forma marcante e eterna.


Avaliação média: 4.57
Total de Votos: 7

Comparação