Podemos, muitas vezes, dividir uma mesma ideia para objetos diferentes, criando novas identidades e conceitos.


O que é hipálage?

A hipálage, assim como ocorre com a sínquise e o anacoluto, classifica-se como sendo uma figura de sintaxe pois se enquadra na categoria de recursos que alteram o aspecto sintático do enunciado, atribuindo novas funções à sintaxe que o configura. Sendo assim, sua aplicação é gramatical e lida diretamente com a estrutura textual.

Essa figura de linguagem pode ser notada quando há inversão da posição de algum adjetivo, fazendo com que a qualidade ou a característica por ele referida se aplique também a um outro objeto presente no texto, extendendo assim a significação proposta.


Exemplos de hipálage

Seu uso é bastante recorrente quando uma narrativa percorre a descrição de alguém ou de alguma coisa, pois deste modo é possível poupar o vocabulário ou tornar a oração longa demais. Outra utilização comum está ligada à estética, de modo que muitos autores se valem desta técnica para criar novas imagens e enriquecer o valor de determinadas palavras ao decorrer da redação.

Exemplo 1

“(…) as lojas loquazes dos barbeiros.”
– Eça de Queirós

O escritor utilizou o recurso da hipálage ao definir as lojas como loquazes quando, na verdade, este adjetivo diz mais a respeito dos barbeiros do que de seus estabelecimentos, criando assim um efeito distinto.

Exemplo 2

“Ai, como essa moça é distraída, sabe se lá se está vestida ou se dorme transparente.”
– Chico Buarque

No trecho acima o compositor inverteu a posição do adjetivo – “transparente” – para junto do verbo, sendo que ele está associado à “moça”. Sua intenção foi destacar o gesto do sono, enfatizando as condições nas quais ele pode ter ocorrido, gerando uma imagem.

Exemplo 3

“Senhora, sinto muito, mas seu filho João faz com que a aula seja mal-educada.”

Ao caracterizar a “aula” como “mal-educada”, o enunciador desvia o foco de “João”, que aparece como real motivador desta característica. A escolha das palavras reflete um certo cuidado ao lidar com o problema.

Exemplo 4

“Naquele dia, minha vó cozinhou sonolenta.”

A intenção nesta frase é apontar que a “vó” realizou a atividade na cozinha com muito sono, mas o autor optou por inverter a posição do adjetivo com o verbo a fim de intensficar o gesto.

Exemplo 5

“Fez um gol raivoso e virou o jogo!”

Neste caso, a raiva descrita está mais ligada ao gesto e ao ato do que o próprio “gol” em si, fazendo uma referência direta ao que concretizou o feito. A hipálage cumpre a tarefa de destacar o temperamento e a importância da ação.


Avaliação média: 4.2
Total de Votos: 5

Hipálage