Uma informação rodeada de repetições perde naturalmente a sua relevância, pois a parte central da ideia se torna um mero detalhe.


O que é zeugma?

O zeugma, assim como ocorre com o assíndeto e com o anacoluto, faz parte da categoria de figuras de construção, que alteram completamente a ordem sintática dos termos propostos na oração. Desta forma, um enunciado que possui esta marca apresenta uma gramática dotada de regras específicas.

A ocorrência dessa figura de linguagem pode ser reconhecida por seu principal efeito: omitir uma palavra ou um verbo que já foi utilizado na frase, fazendo com que a repetição se torne subentendida. Neste sentido, ela se assemelha consideravelmente à elipse, com a diferença de que esta executa a omissão de algo que ainda não apareceu, ficando, portanto, restrita a suprimir ideias mais óbvias e diretas.


Exemplos de zeugma

Esta técnica é muito necessária para evitar que se repita desenfreadamente algum termo, o que certamente prejudicaria a qualidade da redação, deixando-a mais coesa e clara.

Exemplo 1

“Vieira vivia para fora, para a cidade, para a corte, para o mundo(…)”
– Antônio Feliciano de Castilho

Neste trecho podemos notar o ocultamento do verbo vivia após sua aparição no primeiro período. Posteriormente, torna-se fácil compreender seu sentido subentendido nos outros períodos: “vivia para a cidade(…)”.

Exemplo 2

“Carla gosta mais de feijão; Ana, de creme de milho.”

O enunciado acima também apresenta um clássico caso onde há a aparição da zeugma. Como são duas orações que transmitem informações diferentes em torno de um mesmo verbo, a segunda delas acaba omitindo o uso do verbo gostar sem prejuízo de significado.

Exemplo 3

“Limpe você as áreas externas, pois eu prefiro as internas.”

Torna-se claro, embora de maneira não explícita, que o enunciador desta frase prefere limpar as áreas internas, pois foi com este mesmo núcleo verbal que ele iniciou a primeira parte de sua fala ao indicar outras localidades para seu interlocutor limpar.

Exemplo 4

“A vida é um grande jogo e o destino, um parceiro temível(…)”
– Érico Veríssimo

O autor optou por omitir o verbo é ao se referir ao destino. Aqui, a escolha é principalmente estética e foi tomada com o propósito de conferir maior estilo á frase em questão, tornando-a mais impactante e direta.

Exemplo 5

“Amor é para sempre, sexo também.”
– Rita Lee

A zeugma ocorre com o propósito de formatar a canção. A compositora optou por deixar implícita a informação é para sempre em relação ao sexo, de modo que a palavra também já traz esta ideia à tona, mas de um modo menos preponderante, baseando-se na sutileza da sugestão.


Avaliação média: 4.4
Total de Votos: 5

Zeugma